Tags

Augusto Licks quebrou um jejum de anos longe da mídia e concedeu em agosto de 2008 uma entrevista (com pouco menos de 15 minutos) para a Rádio Guaíba. Divulgava o workshop “Do quarto para o mundo”.  Por telefone, Augusto relembra o tempo em que trabalhava como jornalista na emissora. A primeira pergunta já começa abordando um tema delicado: sua participação e saída da banda. Augusto pergunta rindo: Engenheiros do Hawaii?!! Em seguida responde:

Engenheiros do Hawaii foi uma banda da qual eu fiz parte até 1993. Preciso fazer uma colocação para explicar porque eu não falo desse assunto. Se você der uma olhada na minha biografia, vai voltar lá atrás nos anos 70. No primeiro show que eu fiz, “Deu pra Ti, anos 70”, ao lado do Nei Lisboa, nem fui para a foto de divulgação. Nunca foi um hábito meu falar sobre o meu trabalho pessoal”.

Segue falando sobre a parte ética de não se aproveitar de um assunto tão polêmico para fazer a publicidade de um novo trabalho puramente didático. Em seguida mais uma pergunta sobre a música e internet e se despedem .

O guitarrista, gremista assumido, diz também que a ideia do projeto lhe ocorreu depois de ter realizado a trilha sonora de uma peça de teatro e pelos pedidos dos estudantes de música.

“Na época que comecei não havia informação. Em comparação hoje há uma poluição de informação. Nesse projeto no Santander Cultural estou levando para essa garotada alguma informação não quantitativa mas qualitativa de forma organizada”.

Além de dicas práticas e técnicas Augusto disse que gostaria de disponibilizar o que acha importante baseando-se na sua experiência e vivencia, ou seja: mostrar o caminho das pedras. O valor foi de apenas R$10,00 (simbólico, não?) no Santander Cultural de Porto Alegre.

Na época Juliane Soska contou como foi o workshop e sua experiência de encontrar com Augusto.

Entrevista:

Em 22 de maio de 2010 o workshop ocorreu em Iracemápolis, SP. Alguém filmou uns minutinhos e colocou no You Tube:

Anúncios