Especial Alívio Imediato

Tags

Show do disco Alívio Imediato gravado no Teatro do Hotel Nacional – Rio de Janeiro. O especial exibido em 16 de dezembro de 1989 na extinta Manchete mostra cenas da banda passeando pela antiga União Soviética. Já nessa época os Engenheiros do Hawaii tocavam a música Era Um Garoto, que seria gravada no LP seguinte  O Papa é Pop.

Humberto canta Knockin’ On Heaven’s Door de Bob Dylan no início da música Terra de Gigantes. A canção dura em média 25 segundos e Humberto pede para começar de novo após errar a letra e segue cantando a belíssima Terra de Gigantes. Essa parte não foi editada e a produção transmitiu sem corte algum.

Nessa época Humberto cantava no meio de Infinita Highway uma frase adaptada da música Rapaz Latino Americano de Belchior : “Eu sou apenas um rapaz latino americano sem dinheiro no bolso, ou parentes importantes, e vindo do Rio Grande do Sul”.

A banda tinha essa sacada de tocar músicas incidentais como, por exemplo, Hino Nacional e jingle da campanha presidencial do candidato Brizola.  Augusto Licks comenta que o show para ele é uma espécie de alívio imediato e sobre o público dos shows que fizeram em Moscou.

Ninguém foi capaz de evitar

Tags

A letra que fala sobre o final de um relacionamento parece falar também sobre o final da banda (ou da formação do trio) Engenheiros do Hawaii.

Quem Diria?

Quem diria
Que um dia
A gente iria
Chegar ao fim?
Quem diria
Que seria
Assim?
Ninguém seria capaz de adivinhar
Ninguém foi capaz de evitar

Você se enganou
Tem que reconhecer
Não me conhecia e não sabia o que queria saber
Agora reclama
Sem nenhuma razão
Pra não dizer o que não quer ouvir ninguém falou
Você se enganou
Não pode negar
Não me conhecia e não sabia, não sabia por quê

Quem diria
Que um dia
A gente iria
Chegar ao fim?
Quem diria
Que seria
Assim?
Ninguém seria capaz de adivinhar
Ninguém foi capaz de evitar

Você se assustou
Foi fácil de perceber
Não sabia o que queria, não sabia o que queria saber
Agora reclama
Com toda razão
Pra não dizer o que não quer ouvir ninguém falou
Foi o que deveria ter sido
Se não fosse paixão…
(se não fosse, se não fosse, se não)
Se não fosse paixão…

Quem diria
Que um dia
A gente iria
Chegar ao fim?
Quem diria
Que seria
Assim?
Ninguém seria capaz de adivinhar
Ninguém foi capaz de evitar

Programa Livre 92 – TV Cultura SP – Sampa no Walkman

Tags

,

“Gostava de tocar essa música, pena que nunca entrava em show, a exemplo de outras do Várias Variáveis. Ao menos teve um registro ao vivo na TV Cultura, não achei ruim. (Augusto Licks)”.

https://augustolicks.wordpress.com/2009/09/24/os-11-melhores-solos-de-guitarra-do-rock/

ATUALIZAÇÃO: Hieronymus Bosch

Tags

O guitarrista Augusto Licks gravou em 1984 a música Hieronymus Bosch em uma participação especial com a banda progressiva instrumental ‘Cheiro de Vida’.

O comentário feito por Ciro Moreau no blog está correto: Paulinho Supekóvia (guitarrista do Nei Lisboa) era sim integrante do Cheiro de Vida, e não fez apenas uma participação especial. Faziam parte da banda Alexandre Fonseca (bateria), André Gomes (baixo e sitar), Carlos Martau (guitarra), e Paulo Supekóvia (guitarra). As participações especiais ficaram a cargo de Pedro Tagliani, Renato Alscher e Augusto Licks.

Segundo Augusto Licks, o engenheiro de som Renato Alsher também era um integrante: “A sonoridade e os belos timbres da banda eram obtidos em grande parte pela sua capacidade e sensibilidade de captar o que eles buscavam imprimir”, disse.

CONFIRMADO: Workshop de Augusto Licks em Belo Horizonte

Tags

,

Robert Moura escreve em seu blog Rock´n Geral sobre o workshop de Augusto Licks que será realizado em Belo Horizonte. A campanha já está no final, garanta a sua participação.

workshop

Com oito dias antes do encerramento da campanha de financiamento no site Kickante e com 52% do valor arrecadado, os produtores confirmaram a realização do Workshop “Do Quarto Para o Mundo” de Augusto Licks em Belo Horizonte no dia 17 de outubro próximo. 
Entre as cotas de apoio à campanha, ainda tem disponíveis opções para quem pretende participar do workshop, e também para os aqueles que querem simplesmente apoiar o projeto, mas também receberão algumas recompensas como pôsteres, palhetas, participação em grupo privado na web e aulas de música.
Abaixo segue o link de um vídeo criado pela produção do workshop focalizando dois momentos da carreira de Augusto, o primeiro ainda nos anos 1990 e o segundo há duas semanas atrás no qual consta trecho da entrevista feita exclusivamente para a campanha no qual ele respondia exatamente a uma pergunta deste que vos escreve. 

Ouça gravações raras de Augusto Licks

Tags

,

Em 1984 Augusto Licks gravou uma versão do boleroTu Me Acostumbraste que serviu de  fundo para uma cena do filme “Aqueles Dois“, dirigido por Sergio Amon. Augusto também compôs a música original para sax alto e piano tocados por Letieres Leite, da Orkestra Rumpilezz, e Raphael Vernet.  O filme é baseado no conto homônimo de Caio Fernando Abreu.

Tu me Acostumbraste:

A música “Limpem o Sangue” também de Augusto Licks faz parte da trilha de O Dia em que Dorival encarou a Guarda. Inspirado numa história de Tabajara Ruas, o curta de 1986 tem duração de 14 minutos. A direção é de Jorge Furtado e José Pedro Goulart.

Limpem o Sangue:

Outra gravação rara só pode ser ouvida durante a apresentação da peçaTrenaflor, do grupo Vende-sê Sonhos. Parte do elenco participou do filme Deu Pra Ti, Anos 70. Trata-se de uma gravação feita de improviso por Augusto, gravada em fita K7 tocada na terceira cena, antes do ator Marcos Breda entrar com o violão.

Mais uma raridade é a canção “Hieronymus Bosch da banda Cheiro de Vida na qual Augusto faz uma participação especial.

http://www.4shared.com/audio/ATU9PIaH/06-Hieronymus_Bosch.html

Augusto Licks lê esse blog!!!

Tags

, ,

Quando recebo qualquer feedback do Augusto Licks fico pensando: caramba ele lê meu blog! Há muito tempo recebi um e-mail com algumas mensagens para algumas pessoas que comentaram aqui, mas só depois de mil anos me lembrei que nunca publiquei. Veja se Augusto respondeu algum comentário seu:

Concurso cultural

Gostaria de agradecer a todas as pessoas que enviaram mensagens para o Blog e para o FaceBook. Afinal, são quase 20 anos sem tocar em público. Agradeço muito pelo concurso em minha homenagem, me passa a sensação de que a minha música foi mesmo útil ou serviu de inspiração para algumas pessoas. A todos, a minha gratidão, o meu abraço, e espero que transformem essa influência em felicidade, e que sigam seus corações.

Homenagens

Augusto manda um agradecimento especial ao José Domingos Goulart, que escreveu: “Minha filha se chama Anandalicks em sua homenagem, pra vc ver como te admiramos. Um grande abraço e se um dia ler esse email. responda, seria um sonho saber que você leu isso.”

Em resposta, ainda que atrasada, ao José, sinto-me muito, mas muito honrado pela Anandalicks. A ela, a você, e aos seus, desejo muita luz e o que a felicidade significar para cada um.

Igual agradecimento faço ao Chapeleiroraro, pai do Gabriel AUGUSTO, que deve estar com 4 anos. Muita luz e felicidade pra vocês e os seus. (Isso me foi enviado em 2013)

Para Christian Jung, que teve um depoimento publicado no blog

Gostaria de mandar um abraço ao CHRISTIAN JUNG (“Passarinho”) e agradecer pelas lembranças de Porto Alegre, tive a honra de trabalhar com o pai dele na rádio Guaíba, o Milton Ferreti Jung, a quem estendo meu abraço e também ao irmão do Cristian, Milton Jung (Jr), que é âncora da rádio CBN. Bela e talentosa família. A propósito, da fita k-7 que ele fala, não é “nuvens de algodão” e sim “flocos de algodão, algo assim tão leve, tão …” (e o nome da música …) ??????? (Sete Pontos De Interrogação). Ainda bem que errei na futurologia, felizmente os bateristas não foram extintos como se temia então.

Mais abraços 

Abraço também para Flora, filha de meu primo Amaro, da tia Acella. Que alegria receber mensagem dela. A ela e todos familiares, o meu carinho.

Abraço ao Marcos Paulo, da Avenida Paulista. Nos encontramos pouco tempo depois de minha saída da banda.

Abraço ao Valdimir D’Angelo e sua filha, saudades das nossas entrevistas e conversas sobre blues.

E abraço também ao velho amigo Mário Xavier Antunes de Oliveira, irmão do Frank Jorge da Graforréia Xilarmônica e de muitas outras coisas, e para a irmã Teri também.

Grande abraço ao Carlos Mosmann, jornalista e músico brilhante com quem conviví com nosso grupo “Hora Extra” nas rodas universitárias, com o Bolívar e o Jarí. Nossos ensaios no “castelo” da Casemiro de Abreu regados a café falso (cevada) e amanteigados Stoffel que o “Alemão” trazia de Novo Hamburgo estão firmes na memória e no coração. Grande parte da riqueza literária do show Deu Pra Ti Anos 70 tem a assinatura do Mosmann. Grande Alemão!